17/07/2017

Farta de férias e lontrices

Pois é, passaram-se 15 dias e eu já estou pronta para voltar para casa. A verdade é que sou muito caseirinha e gosto de estar na minha casinha... Já tenho imensos planos de coisas para fazer, mas aqui na praia não posso fazer nada... Aqui é só dormir, estender-me na areia, estender-me na espreguiçadeira, fazer comida, comer, umas caminhadas, e pouco mais... O J. está a trabalhar e os miúdos passam o dia com os amigos; portanto, eu estou quase sempre sozinha... Tenho o Primal Health Coach para acabar, alguns livros para ler, e pouco mais... 

E, ainda por cima, ando feita lontraPasso a explicar. 

Altura de frequências e exames é sempre um stress para mim. Maio e junho foram assim.
A juntar ao stress, a minha tendinite no ombro deu sinais de si, de tal maneira que tive que ir para a fisioterapia. Entretanto, tendinite acalmada, venho de férias e arranjo um torcicolo do pior (mesmo, nunca tinha tido um tão mau como este).
Stress e dores resultam em lontrice muito chocolate para lidar com o stress, pouquíssimo yoga por causa das dores, mais stress por causa de não fazer yoga, mais dores porque mesmo com dores não falto à natação.
Resultado - estou uma lontra. E isto tem que acabar AGORA!

Na verdade, a lontrice não é total. Estou a fazer um curso de iniciação ao crossfit (se bem que já fiz crossfit, mas queria aprender bem os movimentos), duas vezes por semana, durante 4 semanas. 
Tenho feito caminhadas depois do jantar, 45 minutos (é o caminho que tenho aqui, cerca de 4 km).
As aulas de natação já terminaram, infelizmente... em setembro há mais.
O que quero agora, enquanto estou de férias, é recomeçar a prática de ashtanga yoga, devagar. Não me vou aventurar a praticar 90 minutos logo assim de repente. É começar com 30 minutos e depois logo se vê. (esta manhã só fias saudações ao sol que já era tarde). À conta de tanta natação, perdi alguma da flexibilidade que tinha, mas isso recupero facilmente.
Ah, e vou fazer um curso de windsurf aqui no Centro Náutico da praia de Faro! O J. faz (fazia) windsurf, um dos miúdos já fez o curso (o outro preferiu canoagem), e eu pensei, já fiz vela e já fiz surf, portanto o windsurf não deve ser assim tão difícil! Portanto, daqui a uns dias lá estarei para um curso de 4 dias!

Estou muito entusiasmada com a abertura de um novo ginásio aqui em Faro, o Pump. Abre no fim deste mês e já me inscrevi. É perto de casa, é barato, e tem uma coisa que acho fantástica as aulas são quase todas de meia hora! Adoro! Curto e intenso! Vai ser perfeito para quando os miúdos estiverem nas atividades. Vou começar em agosto, quando voltar de férias. Eu não sou muito de ginásios e aulas de grupo, mas estou entusiasmada com este - espero não me desiludir!



De resto, só tenho que aprender a fechar mais a boca - sobretudo quando o que tenho à frente é chocolate...

Ah, agosto, vem depressa!

12/07/2017

not so fast

Não sei porquê, mas quando estou de férias na praia de Faro dá-me para reler o blog da Lénia. Aconteceu há dois anos, aconteceu o ano passado, e está a acontecer agora. Não é só por adorar o estilo de escrita dela, mas também porque muito do que ela escreve faz-me pensar. Às vezes estamos a passar por situações muito semelhantes nas nossas vidas, quer a nível pessoal ou profissional (embora eu raramente escreva sobre isso), o que ajuda a cimentar este fenómeno de identificação. Eu conheci a Lénia pessoalmente e tenho pena de não a conhecer melhor. É uma gaja porreira, sem merdices, despachada, inteligente - e eu gosto de pessoas assim.

Da sua escrita, estou na mesma onda em quase tudo o que ela diz. Por exemplo, concordo absolutamente com a posição da Lénia relativamente ao aborto, e também há músicas que me deixam nauseada... mas, ao contrário dela, eu gosto da M80 (e da Antena 2) e não suporto cenas mais dançáveis ou mais "suburbanas", como ela diz (os links são da série Frente & Verso que ela escrevia com a Margarida). Já me fartei de rir, já me vieram as lágrimas aos olhos, já fiquei a pensar, já comecei a olhar para certas coisas de forma diferente, já aprendi com a escrita da Lénia.

Adiante. Gosto de ler a Lénia porque a Lénia é uma inspiração. A Lénia vai à luta, cai, anda por ali perdida durante uns tempos, ergue-se de novo e consegue subir ainda mais alto. Inspira-me a ser melhor, a não desistir. 

Portanto, se de vez em quando também precisas de uma dose de inspiração, aqui tens muita.

05/07/2017

As pessoas que só dormem 4 horas por noite

Ah, como eu tenho inveja dessas pessoas que dormem 3 ou 4 horas por noite e acordam frescas que nem uma alface... 

A semana passada assisti a uma palestra do Prof. Gualberto Buela-Casal, psicólogo e um dos mais importantes investigadores do sono a nível mundial (responsável pelo maior laboratório do sono da Europa, em Granada), sobre, precisamente, o sono (não o sonho, que é uma coisa que se dá mais a análises freudianas). Foi muito interessante! Fiquei a saber porque é que essas pessoas dormem tão pouco e a maioria de nós tem que dormir muito mais...

A figura mostra o padrão normal do sono de um adulto (neste caso, humano, mas o sono dos outros primatas é muito parecido com o nosso). As fases 1 e 2 são de sono ligeiro e muitas vezes estamos nelas e achamos que não estamos a dormir (podem ocorrer até quando estamos a conduzir o carro!). As fases 3 e 4 são o sono profundo e muito profundo, e o sono REM é aquele em que a atividade cerebral está imparável! Ao contrário do que se pensa, não sonhamos apenas na fase REM, mas sim em qualquer uma delas. O sono profundo/muito profundo e o REM são essenciais para recarregar baterias, tanto a nível físico como cognitivo - estas fases são, portanto, as mais importantes.



Como vemos na figura, o sono profundo ocorre mais ao início da noite, enquanto o REM fecha cada ciclo de 90 minutos e vai aumentando com o passar das horas de sono. Estes ciclos de 90 minutos são muito certinhos na maioria das pessoas - ao colocarmos o despertador, devemos ter em atenção estes ciclos, se a ideia é acordar frescos e repousados. É muito mais fácil acordar no início de um ciclo (na fase de sono ligeiro), do que a meio (no sono profundo ou REM). Acordar na fase de sono profundo é terrível - o cérebro está muito lento e geralmente o que acontece é que demoramos uns segundos a perceber onde estamos ou que dia é.

O sono ligeiro, ou seja, as fases 1 e 2... não servem para nada. O que é uma pena, pois ao longo do sono passamos bastante tempo em sono ligeiro. Ora, aquelas pessoas que conseguem dormir apenas 4 horas por noite... não têm sono ligeiro!! Passam essas poucas horas em sono profundo ou REM! Não se sabe porquê, mas essas pessoas, quando adormecem, oscilam entre o sono profundo e o sono REM, não passando pelo sono ligeiro. Assim, conseguem ter à mesma as horas necessárias de sono restaurador sem o desperdício do sono ligeiro pelo meio! (Ah, que inveja! As coisas que eu faria se dormisse só 4 horas por noite...)

Infelizmente (e foi nesta parte da palestra que agucei bem os ouvidos, a pensar que ia ouvir a solução para os meus problemas...), não há nenhuma maneira natural de conseguirmos alterar o nosso padrão de sono... Quem dorme 7-8 horas por dia tem que aceitar que nunca conseguirá dormir apenas 4 e ficar bem. Poderá haver formas artificiais de alterar o sono (com medicação...), mas óbvio que isso não é natural nem saudável...

Seja como for, podemos regular o despertador de modo a acordarmos na melhor altura, considerando os ciclos de 90 minutos.
Se és daquelas pessoas que adormece mal cai na cama, podes pôr o despertador para daí a 7h30 ou 6h - mas não para daí a 6h30 ou 7h, pois vai calhar a meio dos ciclos.
Se demoras um pouco mais adormecer, tem em atenção esse tempo que levas até entrar na fase 1 do sono e conta os ciclos de 90 minutos a partir daí. Eu, por exemplo, posso demorar 10-15 minutos agora nesta altura relaxada de férias, mas em fases em que ando mais stressada e vou para a cama ruminar em coisas, posso demorar meia hora ou mais (bastante mais, às vezes) a adormecer. Portanto, é ter isso em consideração quando programamos o despertador!


Outros posts sobre o sono:

03/07/2017

De volta à normalidade e planos para o verão

No seguimento do meu último post, estou finalmente de férias! Licenciatura em Psicologia acabada. Tenho agora uns meses para respirar. Mas é inevitável pensar: mas porque é que me meti nisto?? A minha vida antes do curso era tão mais simples. Tinha fins de semana livres, lia imenso, fazia coisas fora de casa. Escrevia imenso neste blog, destralhava a casa, costurava... Agora, estudo aos fins de semana (vá, não são todos os fins de semana, mas quase). Por isso, antes que as aulas do mestrado em psicologia clínica, ao qual vou candidatar-me, comecem em setembro, tenho mil e uma ideias de coisas para fazer - antes que os meus fins de semana sejam tomados de assalto pelo estudo e pelos trabalhos...

Para começar, quero destralhar a casa. O destralhamento é um processo contínuo; quero dar uma grande volta à despensa da cozinha e à arrecadação. Aliás, tenho planos para "redecorar" a despensa com o sistema Algot do Ikea (agora que tenho um Ikea a poucos km de casa!!!) - há poucos meses fizemos um armário no hall de entrada com o Algot e ficou super giro!! (e barato) Esta foto mostra a fase inicial, mas agora está mais composto (só falta arranjar o chão que ficou com umas zonas sem tacos).

A minha roupa está constantemente a ser destralhada. Tenho uma gaveta cheia de tops de verão que praticamente não uso, porque ando mais com vestidos e esses tops ficam bem com calças de ganga (que não uso durante o verão). Portanto, quero ver se arranjo maneira de os usar, senão, terão que ir fora.

Preciso também de renovar os têxteis da casa, sobretudo os lençóis da minha cama, que estão todos rotos!! Tenho apenas dois conjuntos de roupa de cama (lençol capa de baixo, capa de edredon que serve de lençol no verão e de capa de edredon no inverno, e duas fronhas), e portanto, pretendo substituí-los por outros dois. Do Ikea, claro! Eu gosto das coisas simples. Branco e cinzento são as minhas cores. Duas capas de edredon brancas, dois lençóis-capa cinzentos, e quatro fronhas brancas ou cinzentas.

Os lençóis das camas dos miúdos também estavam a precisar de ser substituídos - já comprei um lençol-capa para cada um (no Ikea!); as capas de edredon ainda aguentam mais uns tempos. Os cortinados é que não, estão todos rotos! Em agosto quero fazer um grande destralhamento no quarto deles, porque há muita coisa, sobretudo brinquedos, que eles já não usam e apesar de estar tudo arrumado em caixas, não há necessidade de manter coisas que já não servem para nada...

Também queria renovar o interior do roupeiro deles com... claro, o sistema Algot!! Veremos...

Outra coisa que quero fazer mas que me assusta é destralhar o que tenho guardado na arrecadação. Como a arrecadação é na cave do prédio e só vou lá tirar e pôr bicicletas, não tenho que lidar com a tralha todos os dias... mas sei bem que tenho caixas cheias de coisas, nomeadamente papelada diversa, livros de piano, objetos decorativos, discos de vinil... e muito mais. Por mim, as únicas coisas que tinha na arrecadação eram as bicicletas, as coisas do Natal e as várias caixas de ferramentas do J. Mais nada! (será que consigo?)

Mais coisas giras que tenho planeadas para os próximos tempos? Um curso de inciação ao crossfit! Sim, eu já fiz crossfit, mas quero recomeçar devagar, e o curso aborda os principais movimentos e as técnicas corretas de execução, entre outras coisas. Quero também continuar a nadar, porque as aulas de natação interrompem de 15 de julho a 15 de setembro, e nem pensar ficar 2 meses sem nadar!! Este verão não tenho retiros de yoga nem nada disso planeado, nem estou a pensar ir a mais lado nenhum - quero ficar em casa, a fazer as minhas coisinhas. 

E são estes os meus planos mais imediatos para quando acabarem as férias, no fim deste mês. Agosto costuma ser um mês em que consigo fazer imensas coisas, tanto no trabalho como em casa. Espero que este ano seja igualmente produtivo! Mas agora, deixa aproveitar a praia!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...