25/12/2015

Desafio Primal nos dias de Natal

Coisa complicada, manter uma alimentação saudável durante as festividades, né? Nem por isso, no meu caso. Felizmente, não gosto nada daqueles doces e fritos típicos do Natal - eu só como chocolate. Estes dois dias não apontei o que comi, mas as únicas "transgressões" foram uns crepes com chocolate para pequeno-almoço no dia 24, algum pão e 2 fatias de bolo de chocolate ao jantar, e mais umas fatias de bolo de chocolate hoje. E, claro, o bacalhau com natas (sendo o problema as batatas, não as natas). De resto, nada de hidratos de carbono complexos.

O mais incrível e fantástico é que já noto diferenças no meu comportamento alimentar. Por exemplo, já não consigo enfardar como antes. Hoje, durante o almoço de Natal, comi apenas bacalhau com natas e uma fatia de bolo de chocolate. O resto dos convivas comeram, comeram, comeram (marisco, pão, queijos, cataplana, vários outros pratos e doces), mas eu não consegui. Fico bem com pouco - e mesmo assim, até comi bastante bacalhau com natas, que é dos meus pratos preferidos. Ainda tenho metade de um bolo de chocolate para acabar, e amanhã voltamos ao bom caminho!!

Desafio Primal dia 10

Grau de sucesso (1-5): 4

Peso = 54,0 kg

Refeições:
0800 - umas quantas bolachas de chocolate
1000 - iogurte grego, sementes, nozes, maçã
1230 - fatia de lombo de porco no forno com salada, chá e chocolate preto
1630 - bocadinho de pão com queijo e nozes
2000 - roti de porco no forno
2130 - chá e bocadinho de chocolate preto

Exercício físico
Aula de Jump.

23/12/2015

Desafio Primal dia 9

Grau de sucesso (1-5): 3

Peso = 54,6 kg

Refeições:
0900 - iogurte, semente, nozes, maçã
1200 - hamburguer grelhado com molho de limão (delicioso, no Doner Kebab), muita salada e um bocadinho de arroz branco com legumes (não comia arroz há mais de 1 semana!!)
1630 - 1 queijinhos mini babybel, laranja
1800 - umas quantas bolachas wafers de chocolate...
2200 - 4 crepes pequeninos com chocolate (a sério; 2 noites seguidas com crepes...)

Exercício físico
Fiz meia hora de yoga de manhã e dei duas aulas de yoga à tarde.

Resumo do dia:
Níveis de energia - 3 (não aumento o nível de sucesso enquanto não deixar de comer crepes!!)
Fome entre as refeições - 1
Satisfação com as refeições - 5


Dificuldades - Como resistir quando me apetece crepes ou outro doce? O que comer em vez disso?

Desafio Primal dia 8

Grau de sucesso (1-5): 3

Peso = 54,6 kg

Refeições:
1030 - um chocolate bem pequenino, caixa de framboesas
1300 - 3 pernas de frango com tomate e verduras; chá e chocolate preto
1700 - 2 queijinhos mini babybel, framboesas
1900 - carne bolonhesa com tomate e verduras
2200 - 3 crepes pequeninos com chocolate

A proposta para hoje era não consumir produtos que tivessem um rótulo... É difícil... Até as framboesas vêm com rótulo...
Hoje também deveríamos andar descalços ao longo do dia. Não tenho problemas com isso, visto que já o faço, e como fiquei o dia quase todo em casa, foi fácil...

Resumo do dia:
Níveis de energia - 5
Fome entre as refeições - 1
Satisfação com as refeições - 5


Dificuldades - O que comer quando me apetece doces?

Desafio Primal dia 7

Grau de sucesso (1-5): 4

Peso = não me pesei...

Refeições:
1030 - crepes com chocolate (com dieta ou sem dieta, o pequeno-almoço de domingo mete sempre crepes!)
1300 - salmão grelhado com 1 batata cozida e salda
1600 - 2 ovos mexidos com pepino e sumo de laranja
entre as 1800 e as 2000 - no cinema, a ver Star Wars, comi umas quantas pipocas
2200 - salada de frango, queijo, ovo cozido, alface, cenoura e ananás, com molho de iogurte

Exercício físico
nada...

Resumo do dia:
Níveis de energia - 5
Fome entre as refeições - 1
Satisfação com as refeições - 5


Dificuldades - Não comer pipocas no cinema!
Benefícios - Continuo a sentir-me com bastante energia!

22/12/2015

Quando as coisas são planeadas, acontecem!

É verdade! Quando planeamos a realização de uma determinada atividade, a probabilidade de a realizarmos é bastante superior. Não sou eu que o digo. É a investigação científica. Nomeadamente, este artigo.

O que os investigadores fizeram foi dividir os participantes de um estudo em 3 grupos. Aos participantes do grupo de controlo foi dito para fazerem exercício físico uma vez na semana seguinte; 29% fizeram. 

Aos participantes do grupo experimental 1 foi dito o mesmo, mas também explicaram detalhadamente porque é que o exercício físico é importante para a saúde; 39% dos participantes exercitaram-se.

Aos participantes incluídos no grupo experimental 2 foi dito o mesmo, para fazerem exercício físico, mas também para decidirem um dia, hora e local específicos para o fazer; 91% dos participantes cumpriram!!

O gráfico mostra os resultados. O Time 3 é o que interessa, pois foi após os investigadores dizerem aos participantes do grupo experimental 2 para se comprometerem com o dia, hora e local para praticar exercício físico. Impressionante, não é? O poder do planeamento! Food for thought...




21/12/2015

Que ano!! E 2016, o que trará?

Acho que nunca tinha tido um ano assim. Nem mesmo nos últimos tempos do doutoramento. O que mudou (e complicou) na minha vida foi ter ingressado numa segunda licenciatura, desta vez em psicologia. De repente, o meu tempo livre reduziu-se drasticamente. Tive que abdicar de algumas coisas para conseguir responder às exigências todas. Quase deixei de ver televisão, mas li bastante. Quase deixei de escrever no blog, mas escrevi muitas outras coisas. E pela primeira vez há muitos anos tirei férias a sério no verão - um mês inteiro de férias, na praia, sem fazer (quase) nada de trabalho (fiz algumas coisinhas, admito). Nesse mês de férias também consegui, finalmente, perder uns quilinhos a mais! E fiz muito, muito yoga ao longo do ano. 

2015 foi um ano mesmo diferente. Algumas coisas correram mal, claro, mas essas experiências são aprendizagens que tenho que levar para 2016. Agora, mais do que nunca, preciso ser disciplinada. Não posso procrastinar, não posso distrair-me, não posso dormir mais um pouco... O ano correu bem, tanto no trabalho como no curso, mas 2016 tem que correr ainda melhor. E para que tal aconteça, há que fazer mudanças.

> Em primeiro lugar, estudar para frequências apenas no fim de semana antes, como fiz várias vezes este semestre, está fora de questão! No 2º semestre quero dedicar meia hora ao fim de semana para cada uma das disciplinas que tenho, para rever o que foi dado em cada aula, fazer apontamentos e assim ir adiantando serviço para as frequências. São 6 disciplinas, portanto hora e meia no sábado e hora e meia no domingo. Hora e meia em 24 horas é muito pouco - não há desculpas. 

> Vamos voltar a contratar uma empregada para limpar a casa, pelo menos 1 vez por semana. Não dá mais. Com o meu trabalho, o curso, as aulas de yoga, o trabalho do J., os miúdos e as suas atividades, não dá mais para dar conta do recado. Nem tenho cumprido a minha regra de não começar uma nova semana com roupa por passar...

> Agora, mais que nunca, o planeamento semanal é fundamental. E não é só planear a minha vida - é organizar a semana de todos cá em casa, definir quem leva qual miúdo a determinada atividade, planear menus consoante as horas a que chegamos a casa, fazer comida a mais para o J. levar para o trabalho (eu não levo; na universidade como bem e barato), e por aí fora...

> Não deixar de ler livros só porque estou demasiado ocupada... Li bastante ao longo ano, até mesmo em maio, na altura das frequências (devorei os Harry Potters todos), mas este semestre esqueci-me dos livros... Mas de certeza que tenho pelo menos 10 minutos para ler na cama antes de apagar a luz!

> Fazer mais voluntariado. O que tenho feito nesta área é dar aulas de yoga com gatos a favor da Pravi de Faro. Quero fazer mais pelos animais, como participar nas campanhas de adoção e ir ajudar nas limpezas do gatil. De certeza que arranjo umas horinhas uma ou duas vezes por mês para isso.

> Voltar a costurar! Tenho almofadas para fazer e uma mala para acabar. É uma atividade que me dá prazer e sou capaz de me perder durante horas com a máquina... Não é que agora tenha horas disponíveis para isso, mas uns bocadinhos de vez em quando concerteza que arranjo.

> Escrever mais. Quero voltar a escrever no diário (raramente escrevo, mas faz-me tão bem) e, claro, quero voltar a escrever mais aqui no blog.

> A minha rotina matinal deve ser uma prioridade. Levantar cedo, fazer yoga, meditar. Não me esquecer do oil pulling, da água morna com limão, do jala neti, da escovação corporal a seco e de outros cuidados. Não arranjar desculpas para não fazer as coisas.

Penso que são estes os aspetos mais importantes. Sobretudo, quero um ano disciplinado, produtivo e tranquilo!

20/12/2015

Desafio Primal dia 6

Grau de sucesso (1-5): 4

Peso = 54,8 kg

Refeições:
1015 - clementina, 2 fatias de bolo de chocolate (o resto do jantar de ontem)
1330 - bifinhos de perú com natas, salada de courgette e cenoura
1600 - 3 castanhas assadas
1830 - clementina
1915 - entrecosto grelhado, salada de courgette e cenoura
2200 - figos com nozes

Exercício físico
aula de yoga (60 min)

Atividade aeróbica longa:
De manhã fui para o parque ribeirinho com os miúdos andar a pé, fazer yoga, usar os aparelhos de ginástica, subir à aranha, brincar... foi muito bom!

Resumo do dia:
Níveis de energia - 5
Fome entre as refeições - 1
Satisfação com as refeições - 5
Dificuldades - Resistir ao meu bolo de chocolate...
Benefícios - Sinto-me cheia de energia!

Desafio Primal dia 5

Grau de sucesso (1-5): 4

Peso = 54,3 kg

Refeições:
0900 - iogurte, sementes, nozes, framboesas
1215 - bife de perú com natas e bocadinhos de salsicha, salada (alface, tomate, cenoura), salada de fruta, chá, bocadinho de chocolate preto
1600 - clementina, queijo mini babybel, chá
1715 - 6 bolachas wafers de chocolate
entre as 2000 e as 2300 - jantar de Natal; comi pão, queijo, chouriça assada, meio bife de vitela, entremeada, 2 fatias de salame de chocolate e 1 fatia de bolo de chocolate

Exercício físico
15 minutos PME (ver dia 3)

Comer fora em modo Primal
Não costumo ir jantar fora aos dias de semana, mas realmente hoje tive um jantar de Natal, onde comi o que me apeteceu. O mais incrível é que fiquei cheia rapidamente! Comi muito menos do que o normal... até o meu bolo de chocolate maravilhoso sofreu - só consegui comer uma fatia!

Sessão de exercício com movimentos primais essenciais (PME):
Fiz tudo e melhorei em relação ao dia 3.

Lutar contra o sedentarismo:
Hoje devíamos lutar contra o sedentarismo, fazendo pausas frequentes para mexer o corpo. Durante o dia fiz isso, no trabalho, levantando-me e andando pelos corredores. No jantar também andei de um lado para o outro, e até andei (ou tentei) de skate!

Resumo do dia:
Níveis de energia - 5
Fome entre as refeições - 1
Satisfação com as refeições - 5
Dificuldades - Comer Primal num jantar de Natal
Benefícios - Ter ficado cheia com pouca comida, no jantar de Natal

Desafio Primal dia 4

Grau de sucesso (1-5): 4

Peso = 54,2 kg

Refeições:
1030 - ovo cozido, framboesas
1215 - 3 carapaus, salada, chá, bocadinhos de chocolate preto
1600 - 4 figos com nozes, 4 bolachas (wafers de chocolate)
2115 - 1 crepe recheado com cogumelos e feijão, sopa de legumes sem batata

Exercício físico
dei 2 aulas de yoga

Comer quando tiver fome:
O desafio de hoje era comer apenas quando tivesse fome. Foi por isso que a primeira refeição foi às 10h30 da manhã. Não gostei muito da ideia... Por exemplo, ainda não tinha muita fome ao meio-dia, quando fui almoçar, mas se deixar o almoço para mais tarde, arrisco-me a já não ter peixe... Por isso gosto de almoçar cedo.

Aventura aeróbica
A ideia era fazer exercício aeróbico na gama do 55-75% do máximo. Dei duas aulas de yoga, seguidas. Acho que conta, pois eu pratico ao mesmo tempo, vou corrigir as pessoas, volto ao tapete, pratico, saio, corrijo... não páro!

Trabalhar em pé
O Mark sugere para hoje trabalhar em pé. É uma ideia que já investiguei e atrai-me bastante, mas ainda não experimentei...

Resumo do dia:
Níveis de energia - 4
Fome entre as refeições - 0
Satisfação com as refeições - 5
Dificuldades - Concordo que devemos comer quando temos fome, e não de 3 em 3 horas... mas certas refeições gosto de tê-las a horas certas, como o pequeno-almoço e o almoço.
Benefícios - A sensação de leveza.
O que tenho que melhorar - Planear melhor as refeições em casa. O J. é que me comprou os crepes com feijão... são muito bons, mas não é coisa que eu deva comer agora...

18/12/2015

Desafio Primal dia 3

Um favorito!


Grau de sucesso (1-5): 3

Peso = 54,5 kg

Refeições:
0815 - iogurte, sementes, nozes, framboesas
1015 - pastel de nata (estava tão cansada e aborrecida com uma coisa no trabalho que o resto do dia não correu nada bem..)
1215 - salada de frango, ovo, queijo fresco, alface, cenoura, bocadinho de molho de iogurte, salada de fruta
1630 - 3 figos e 3 nozes
1745 - clementina
1930 - algumas bolachas de chocolate; às 2230 também, com nutella
2030 - frango assado com tomate

Exercício físico
15 minutos PME (ver abaixo)
60 minutos aula de Jump

Planear um jantar Primal para sábado:
A ideia é fazer um jantar com um menu primal e convidar gente... Bom, os meus convidados são os que já estão lá em casa e vamos comer carne grelhada com uma salada colorida. Nada de especial. Os meus dotes culinários não são grande coisa...

Boicote à comida industrializada:
Ando mesmo a pensar deixar de comprar bolachas de pacote e fazê-las eu. Tenho uma receita de bolachas de chocolate na bimby que é uma maravilha!

Sessão de exercício com movimentos primais essenciais (PME):
Se há coisa que gosto bastante é a abordagem do Mark Sisson ao exercício físico. Ele é completamente contra aquilo que chama de cardio crónica, ou seja, estar sempre a ir ao ginásio, fazer aulas longas, estafarmo-nos todos os dias e não descansarmos decentemente. O homem das cavernas não se exercitava assim e estava em excelente forma física. O que é que ele fazia? De vez em quando tinha que correr à velocidade toda para fugir de predadores; com alguma frequência fazia esforços pesados mas de curta duração; e todos os dias tinha atividade aeróbica moderada, como andar de um lado para o outro à procura de comida.
Como é que isto se traduz para o século XXI? Por semana, uma sessão em que damos o máximo durante um curto período de tempo - para mim será a aula semanal de Jump que gosto muito. Duas vezes por semana basta fazer os movimentos essenciais (PME) que são: elevações, agachamentos, flexões e prancha. E todos os dias manter um nível de atividade moderado, ou seja, andar a pé, subir escadas, brincar, ser ativo. Eu ainda tenho a minha prática de yoga.
Hoje foi o dia do PME. Lá fiz as elevações na minha barra nova, e o resto. Foi rápido e soube muito bem.

Brincar
Previsto para o dia 3 estava uma sessão de brincadeira espontânea. Fazia muito isso quando estive de férias em julho, mas a meio da semana é difícil...

Resumo do dia:
Níveis de energia - 4
Fome entre as refeições - 3
Satisfação com as refeições - 5
Dificuldades - O chamamento do açúcar quando me sinto emocionalmente me baixo.
O que tenho que melhorar - Devo ter comida SOS sempre à mão para não me entreter com coisas proibidas... como o pastel de nata e as bolachas...

Desafio Primal dia 2


Grau de sucesso (1-5): 4

Peso = 55,0 kg

Refeições:
0900 - iogurte, sementes, nozes, maçã
1000 - chá verde
1115 - clementina
1230 - red fish grelhado com azeite, couve-flor e salada; chá e uns bocadinhos de chocolate preto (85% cacau)
1600 - 2 ovos cozidos, caixinha de framboesas
1730 - 3 figos e 3 nozes
2130 - perna e coxa de frango assado, tomate, pepino, 3 figos e 3 nozes

Onde comprar produtos Primal:
Não interessa só comer carne e verduras - os produtos devem ser o mais natural possível, ou seja, carne de animais livres que não sejam alimentados com ração, e verduras biológicas. Claro que não é possível só comer produtos destes, porque não são fáceis de encontrar, sobretudo a carne, e os preços são proibitivos. Mas sempre que pudermos comprar produtos biológicos, devemos fazê-lo. Onde vivo é fácil encontrar fruta e verduras biológicas, mas carne não tanto... O Jumbo às vezes tem, mas os preços são exorbitantes. Já o peixe é outra conversa! Há muito peixe, a maioria selvagem.

Exercício aeróbico
A sugestão para hoje é fazer um exercício aeróbico de duração moderada. Dei duas aulas de yoga de 1 hora cada. Acho que conta.

Um serão relaxante
Não ver televisão, desligar aparelhos electrónicos... Não fiz nada disto. Estive a estudar ao computador até à hora de deitar. O que vale é li um pouco na cama.

Resumo do dia:
Níveis de energia - 4
Fome entre as refeições - 5 (entre almoço e snack); ao longo do dia - 2
Satisfação com as refeições - 5
Dificuldades - Resistir ao corredor das bolachas e chocolates no Jumbo - mas consegui!!
Benefícios - Chegar ao fim do dia ainda com energia.
O que tenho que melhorar - Tal como no dia 1, a consistência na prática de yoga matinal. Esta semana tem sido uma coisa terrível! Andamos a rever todos os filmes do Star Wars antes de ver o novo, e por isso deito-me tarde...

17/12/2015

Desafio Primal dia 1



Segunda-feira foi o dia 1. O Mark sugere começar  a uma segunda-feira porque o programa tem atividades específicas para o fim de semana. Nas folhas diárias temos também que classificar várias coisas numa escala de 1 a 10. Não gosto de escalas tão longas, por isso vou usar de 1 a 5.

Grau de sucesso: 4

Peso = 54,9 kg

Refeições:
0900 - iogurte, sementes, nozes, maçã
1210 - peixe-espada grelhado com azeite, salsa e alhos, bróculos cozidos e salada de alface, tomate, cenoura e cebola
1300 - chá verde, um bocadinho de chocolate preto 85% cacau (horrível!)
1500 - tinha fome! Comprei meia dúzia (deram-me 7) de castanhas assadas (fico tão feliz por as castanahs serem uma comida paleo, apesar do lato conteúdo em hidratos de carbono)
1800 - 3 fatias pequenas de queijo
1945 - 8 almôndegas (!!) com molho de tomate, tomate e cenoura

Destralhamento da cozinha:
A ideia é livrar-nos da comida "proibida". Como não vivo sozinha, isso não é fácil... Gostava de me poder livrar do arroz, do esparguete, das bolachas, do pão... mas não posso. Posso, sim, fazer opções mais saudáveis; em vez de acompanhar a refeição com arroz, juntar também uma salada - assim come-se menos arroz... Também quero votar a fazer bolachas, em vez de comprar já feitas.

Formas de aumentar o movimento diário:
1. Ir a pé para o trabalho (como eu tanto gosto de fazer mas não tenho feito...).
2. Fazer pausas ao longo do dia, levantar da secretária e dar voltas ao edifício ou subir e descer as escadas do edifício.
3. Estacionar o carro longe do edifício.
4. Não usar o elevador (só uso quando são muitos andares).
5. Não usar as escadas rolantes no centro comercial (e noutros sítios).

Movimentos de hoje:
Andei muito a pé pelo campus (mas já o faço normalmente).
Andei às compras, estacionei bem longe, andei bastante a pé.

Essenciais Primal:
Comprei uma barra para fazer elevações em casa e um monitor de frequência cardíaca.

Resumo do dia:
Níveis de energia - 4
Fome entre as refeições - 5 (entre almoço e snack); ao longo do dia - 2
Satisfação com as refeições - 5
Dificuldades - Ofereceram-me bolo de chocolate e tive que recusar...
Benefícios - Não me sentir com a barriga cheia depois do almoço
O que tenho que melhorar - A consistência na prática de yoga matinal.

Desafio 21 dias Primal

Em julho passado, quando meti na cabeça que tinha que perder os quilos a mais e consegui fazê-lo, apaixonei-me pelo estilo de vida Primal. O tipo de alimentação é baseado no Paleo, mas não é tão restritivo e é muito mais que apenas a dieta. É um estilo de vida. Senti-me muito bem durante esse mês de julho... e perdi 3 quilos, com pouco esforço.

Como ainda tenho 2 ou 3 para perder, desde essa altura que ando numa de controlar um pouco mais o que como para ver se esses quilos também se vão, mas não tem sido fácil... Foi então que percebi que precisava de uma motivação extra e li outro dos livros do Mark Sisson (o autor do Primal Blueprint, o livro que explica, como muito suporte científico, o que é o estilo de vida primal), o The Primal Blueprint 21-day Total Body Transformation (este, que eu saiba, não existe em português, mas o outro sim).

Este livro resume a informação do outro e dá as indicações para que embarquemos num desafio de 21 dias - visto 21 dias ser o tempo médio necessário para mudar um hábito. Em cada dia há pontos em que nos devemos focar e temos folhas diárias para registar uma série de coisas (eu comprei a versão kindle e enviaram-me as folhas em pdf).

Comecei, super entusiasmada, nesta 2ª feira. Registei-me no forum do Mark's Daily Apple (o blog do Mark) para partilhar esta aventura de 21 dias. Infelizmente, algo se passou com o meu registo e não consigo entrar no site... Depois pensei, porque é que estou aqui a partilhar este desafio num site em inglês onde ninguém me conhece, quando posso fazer o mesmo no blog e, quem sabe, inspirar alguém a fazer opções melhores?

Portanto, vou começar a partilhar aqui como está a correr o desafio. Hoje, quinta-feira, estou no quarto dia, portanto, tenho uns quantos dias para publicar... 

13/12/2015

Parei, descansei, destralhei


No meio do caos, destes dias corridos, do stress, da falta de tempo, das muitas horas sentada à secretária... na sexta-feira parei. Não trabalhei pois tive uma frequência de manhã, e à tarde fui para casa com a ideia de começar a estudar para a próxima, na segunda-feira. Decidi não o fazer. Decidi parar e descansar. 
Almocei, vi um pouco de tv, fui ver montras à procura de umas coisas de que preciso (e não encontrei) e acabei por comprar mais um livro.

Fui para casa, estendi-me na cama, tapei-me com uma mantinha e comecei a ler. Por volta das 18h vesti o pijama, pois percebi que não ia mais sair de casa e muito menos ia a Faro fazer uma aula de Jump, como tinha planeado.

Depois pus-me a destralhar. Tinha uma caixa grande de arrumação do Ikea cheia de roupa daquela que não sei bem o que lhe fazer, e tomei decisões. Reaproveitei muita da roupa, porque são coisas giras que até posso usar (se não usar mesmo, então vai fora), outras coisas vou dar à minha mãe para experimentar e outras, poucas, foram para o saco para dar. Depois ataquei o armário da entrada onde guardo os casacos. Tenho poucos mas tenho andado quase sempre com o mesmo porque os outros precisavam de ser lavados. Foi o que fiz. Ainda dei uma arrumação aos sapatos e umas sapatilhas velhas foram para o lixo.


Ontem, enquanto estudava, pus os miúdos a arrumar o seu quarto e juntei-me a eles num destralhamento geral e rápido da casa. Juntámos este lixo todo... É incrível a tralha que se vai acumulando, mesmo numa casa mais destralhada e minimalista como a minha...









10/12/2015

Tudo passa

Que dia, que semana, que semestre!

No outro dia, eu e o meu colega de estudos, também ele trabalhador-estudante, tivemos o mesmo pensamento, ao passarmos o fim de semana a estudar para uma frequência - mas o que é que andamos aqui a fazer??

Se os nossos colegas que só estudam e não tem filhos nem outras responsabilidadas pensam isto de vez em quando, imaginem nós...

O que é importante relembrar - e verificar - é se isto que andamos a fazer nos está a dar prazer. A verdade é que dá. Nós gostamos disto. De ir às aulas, de fazer trabalhos, até de estudar para (algumas) frequências. Estudar psicologia dá-nos prazer. É giro. A motivação é sobretudo intrínseca.

Claro que tudo o resto sofre... Para que o trabalho e outras coisas não sejam prejudicadas, há que levantar mais cedo, deitar mais tarde, aproveitarmos bem os tempos livres e os fins de semana. Quando vou para as atividades com os miúdos, levo o computador para adiantar trabalho. Depois do jantar, vou para o escritório estudar. Aos fins de semana, tenho sempre coisas, do trabalho ou do curso, para fazer. Parece que não temos descanso. Vou para o terceiro fim de semana seguido em que vou ter que estudar bastante. Já nem sei o que é um fim de semana sem nada para fazer (o próximo será um desses, finalmente). Recuso almoços e jantares de Natal porque tenho que estudar (para dizer a verdade, não sou muito dada a jantaradas, mas é bom ter uma desculpa menos esfarrapada). 

Nas últimas duas semanas, tenho praticado pouquíssimo yoga e praticamente não medito. Continuo a dar as aulas, 4 aulas de yoga por semana, que me fazem muito bem, mas a minha prática tem sofrido. Há que aceitar que há alturas em que é assim. Claro que se eu fosse mais disciplinada, conseguiria levantar-me mais vezes cedo para praticar. Eu sei que me faria imensamente bem, mas a minha força de vontade nestas alturas anda pelas ruas da amargura... Não faz mal, tudo passa.

Mais uma vez, o mais importante é relembarmo-nos que isto pode ser complicado, cansativo, stressante... mas nós gostamos do que fazemos. E é temporário. Temos fases muito complicadas, como esta, mas acabam por passar. E o 1º semestre é sempre pior que o 2º, porque é mais curto. Tudo passa.

30/11/2015

Um fim de semana de Ashtanga

Este fim de semana estive em Lisboa num intensivo de 3 dias de Ashtanga Yoga com os meus professores Tarik e Lea. FOI TÃO BOM!!!!!!!!!!

É tão bom praticar com mais pessoas à volta, todas concentradas na sua prática, ouvindo o som da respiração ujjayi, sentindo o calor, o ar abafado, o suor a escorrer pelo corpo... É bom ter as mãos dos professores no nosso corpo, a ajustar, a puxar, a empurrar. Consegui finalmente pôr os dois pés atrás da cabeça, nesta postura, com ajuda do Tarik, e tocar com as mãos no chão nesta, com o empurrão da Lea. Claro que estes milestones não interessam no yoga - como disse o Tarik, o yoga é um workin, não um workout.

E também foi bom estar estes dias sozinha em Lisboa, para recarregar baterias. Não fiz absolutamente mais nada a não ser yoga e estudar para uma frequência que tive esta tarde. Foi um fim de semana de recolhimento, de silêncio, de paz. O meu tipo de fim de semana!

Na ida para lá tive um contacto com uma boa notícia. Vou dar mais duas aulas de yoga por semana, num ginásio aqui em Faro! Cada vez gosto mais disto! 

De resto, espera-me mais uma semana daquelas! Agora é frequências todas as semanas, trabalhos para entregar, as minhas alunas a fazer experiências no lab, dados para tratar, coisas para escrever... o normal. Mas cada vez estou melhor na gestão do tempo - já aprendi a aproveitar momentos mortos para fazer coisas leves. Por exemplo, estou neste momento com um dos miúdos numa atividade e quando acabar de escrever este post, vou passar dados para o computador. Não exige muito esforço cognitivo e fica mais uma coisa despachada. Estou, de facto, numa fase muito produtiva! Trabalhosa, cansativa, mas estou a adorar!

Em relação ao meu peso e ao meu desejo de perder um pouco mais, estou estagnada entre os 54 e os 55 kg. Tenho comido o que quero durante o dia e controlo mais ao jantar, ou seja, tento não comer hidratos de carbono complexos ao jantar, mas às vezes os J. faz comidinhas deliciosas que é impossível resistir... Tenho que fazer mais um esforço sério, talvez em janeiro, que vai ser um mês mais calmo, sem correrias. Mas com tanta prática de ashtanga (que queima muitas calorias), pode ser que perca naturalmente estes 2-3 quilinhos a mais... veremos. 

E é isto por hoje! Estou mesmo num estado de iluminação depois deste fim de semana de práticas, e é por isso que vos aconselho a experimentarem o Ashtanga Yoga, se tiverem em oportunidade. E para terminar, aqui fica um texto que uma ashtangui portuguesa escreveu sobre o que o Ashtanga Yoga tem para oferecer!

O que pensas sobre o ambiente?



ATUALIZAÇÃO


Muito obrigada às dezenas de pessoas que já preencheram o questionário!!
Esqueci-me de referir que o questionário é só para ser preenchido por Portugueses. Este instrumento já foi aplicado e validado no Brasil e agora estamos a fazer o mesmo para Portugal. Desculpem não ter avisado logo... sou nova nestas coisas da psicologia... estou mais habituada a microscópios e coisas do género... ;)

~~~~~

Caros leitores, venho pedir-vos um grande favor!

Estou a fazer uma investigação na área do ambiente e para tal preciso que muitas pessoas respondam a um questionário sobre questões ambientais...

O questionário é anónimo, claro, e demora cerca de 15 minutos a preencher.

Ao contrário da investigação que estou habitada a fazer nas ciências do mar, para a qual precisamos de dinheiro, muito dinheiro, para podermos comprar equipamentos e materiais de laboratório, em psicologia precisamos, não de dinheiro (bom, algum, também), mas sobretudo... de pessoas!

Pessoas que não se importem de dar 15 minutinhos do seu tempo para participar nestes estudos e fazer a Ciência andar para a frente!

Por isso, aqui fica o meu apelo a todos vós que me lêem!

Para aceder ao questionário, aqui está o link


Muito obrigada pela vossa participação! E se puderem divulgar o link do questionário pelos vossos contactos... fico muito grata!!

21/11/2015

Precisamos mesmo de dormir 8 horas por dia?

Este ideia de que uma boa noite de sono são pelo menos 8 horas está tão enraizada nas nossas cabeças, que se calhar vai custar acreditar no que vou escrever de seguida.

Tenho andado a estudar biopsicologia para uma frequência que vou ter para a semana e estou a usar um dos livros recomendados pela docente para apoio ao estudo, chamado Biopsychology de John P. J. Pinel. Ando a estudar os capítulos iniciais, mas dei uma vista de olhos pelo livro todo e um dos capítulos é inteiramente dedicado ao sono, sonho e ritmos circadianos. Um assunto que me interessa bastante, devido às minhas tendências, nem sempre conseguidas, de madrugadora.

Num post antigo já tinha referido um estudo que mostrava que as maiores taxas de sobrevivência nas mulheres, ou seja, as mulheres que vivem mais tempo, são aquelas que dormem entre 5 e 6h30 por noite. O livro do Pinel aborda e confirma, com base em diversos estudos, isto mesmo: as menores taxas de mortalidade estão associadas a indivíduos que dormem entre 5 e 7 horas por dia. Vê o gráfico abaixo, tirado do livro e baseado num estudo realizado com mais de 100 mil indivíduos:


Portanto, dormir 8 horas por noite não é o ideal!

Outro estudo que foi feito seguiu um grupo de 16 indivíduos que durante 60 dias dormiram 5h30 por noite. Sujeitos a uma enorme bateria de testes médicos, psicológicos e de desempenho, o único défice foi uma ligeira diminuição num teste de vigilância auditiva.

Um outro estudo acompanhou 8 sujeitos que reduziram gradualmente as horas de sono ao longo de várias semanas; no fim da redução, os sujeitos, habituados a dormir o "normal", dormiam entre 4h30 e 5h30 (dependendo da pessoa). Durante 1 ano, os sujeitos continuaram a dormir estas horas. O que aconteceu a todos eles foi um aumento na eficiência do sono, ou seja, adormeciam mais rapidamente, tinham mais sono pesado (aquele que é mais reparador) e menos sono REM (aquele em que sonhamos), e acordavam menos vezes durante a noite. 

A parte pior é que ao reduzirem as horas de sono para 6 horas ou menos por noite, estas pessoas começaram a sentir mais sonolência durante o dia. No entanto, o seu desempenho em variados testes não foi afetado. E 1 ano após a experiência, todos os sujeitos continuavam a dormir menos horas por noite do que o que dormiam no início - entre 7 e 18 horas a menos por semana (ou seja, ganharam entre 7 e 18 horas para fazer outras coisas!).

O autor do livro, Pinel, conduziu ele próprio uma experiência de redução de sono. Enquanto esteve a escrever este capítulo sobre o sono, reduziu as suas normais 8 horas de sono por noite para 5 horas. O gráfico mostra o tempo dormido em cada noite, e as horas de deitar e acordar, relativamente ao planeado (barra preta):


Ao fim de 4 semanas, Pinel tinha o capítulo escrito e refere o bom e o mau desta sua experiência. O melhor foi ter ganho mais 21 horas por semana! O pior foi a sonolência que sentia sobretudo ao fim do dia; ao longo do dia, estando ocupado, não sentia sonolência, mas durante a última hora antes de ir para a cama custava a manter-se acordado. No entanto, mal chegava à cama, adormecia logo e dormir tornou-se uma atividade extremamente satisfatória (o tal aumento da eficiência do sono).

Fiquei mesmo com vontade de fazer esta experiência em mim própria!!

19/11/2015

Sobre a disciplina... ou a falta dela



Ultimamente tenho sentido o mesmo que senti por esta altura o ano passado. Quando as coisas começam a apertar - quando começo a ter frequências atrás de frequências, trabalhos, apresentações (a juntar a tudo o resto que eu já faço), ganho disciplina para umas coisas mas perco para outras. A prática de yoga sofre sempre nestas fases. Tenho sido muito mais consistente na hora de levantar, é verdade, mas nestas alturas descambo sempre.

No fim de agosto abracei um novo desafio de yoga, que consegui cumprir até ao início deste mês - a ideia era fazer todas as aulas de ashtanga da Jodi  Blumstein no YogaGlo até ao fim do ano. São pouco mais de 120 aulas e até ao início deste mês fiz 50 e tal. O que me começou a chatear no desafio foi ter que fazer aulas de níveis de dificuldade menor e aulas muito curtas. Às vezes só praticava 20 ou 30 minutos e sabia-me sempre a pouco. Eu quero ter uma prática de ashtanga forte e consistente, e com este desafio não estava a consegui-lo.

Outras vezes arranjo desculpas... não pratico de manhã com a desculpa que vou praticar à tarde, até é melhor que o corpo está mais quente e flexível... Mas à tarde tenho sempre mais que fazer e nunca consigo fazer uma prática como deve ser.

Outras vezes planeio levantar-me bem cedo para estudar um pouco e praticar, mas acabo por ficar na cama, e nem uma coisa nem outra...

Às vezes gostava de ser um pouco mais obsessiva em relação a isto. Gostava que a obsessão fosse tal que, no matter what, levantava-me e praticava, sem inventar desculpas.

A verdade é que eu tenho uma personalidade assim: acho sempre que posso e devo fazer mais e melhor. Nunca estou satisfeita com as conquistas. No dia em que defendi o doutoramento fiquei super contente e relaxada, mas no dia seguinte já estava a pensar, então e agora? O que faço agora? Que novos desafios vêm aí? Tenho uma grande necessidade de fazer coisas diferentes, abraçar novos deasafios, aprender coisas novas, pôr as minhas capacidades à prova. Sou alérgica à estagnação, mental e física.

Tenho dias maravilhosos! Acordo cedo, faço uma boa prática, cumpro tudo o que está na minha lista de coisas a fazer, tenho a casa limpa e arrumada, como comida saudável, passo tempo de qualidade com a família. E tenho outros dias... que são quase o oposto. Se uns dias são assim tão bons, porque é que os outros também não hão-de ser?

Porque falta-me disciplina. Falta-me a força de vontade. Falta-me consistência.

O que gostei bastante neste desafio de yoga é que durante estes 2 meses e tal, consegui cumpri-lo. Pratiquei bastante, e além das aulas de ashtanga, fiz outras, online e presenciais, e dei também bastantes aulas de yoga. Mas sinto que agora está na altura de um novo desafio. 

Então, em vez de praticar todas as aulas da Jodi no YogaGlo, fiz uma selecção daquelas que realmente me interessam. Escolhi só aulas de nível 2, 2/3 e 3, com duração de 60 a 90 minutos, e dentro dessas seleccionei as que quero mesmo fazer. E fiquei com 24 aulas. E tenciono fazê-las todas até ao final do ano. Começando amanhã, tenho 42 dias para fazer 24 aulas. 24 aulas em 42 dias. Parece-me bem. Claro que a minha prática não é só estas aulas. Por exemplo, na próxima semana vou praticar ashtanga a Lisboa e também pratico outras coisas em casa. Mas quero finalmente estabelecer uma prática de ashtanga forte e consistente e espero consegui-lo assim. Vou partilhando o meu progresso aqui, ok?

08/11/2015

O reencontro

Depois do último post, fiz uma introspeção séria e percebi porque é que me sinto assim, perdida, desorganizada... Porque nestas alturas de maior stress, de maior trabalho, a primeira coisa que deixamos de fazer é exatamente a mais importante, aquela que devia ser sempre uma prioridade - tratar de nós próprios.

Nestes últimos dias ou semanas pratiquei pouco yoga (dei aulas, fiz uma aula, mas a prática pessoal em casa foi muito reduzida), quase que não meditei, não bebi a água morna com limão de manhã... não fiz uma série de outros rituais que são essenciais para o meu bem-estar e isso refletiu-se em tudo o resto.

Há outra coisa que eu bem sei que me faz sentir assim - é quando tenho a casa desarrumada. Casa desarrumada, mente desorganizada. Não gosto. Na sexta feira à tarde, depois de ter escrito aquele desabafo, fiquei em casa e pus ordem em tudo. Lavei roupa, estendi roupa, arrumei roupa, lavei louça, organizei papéis... Dá-me logo outro ânimo ter as coisas como deve ser!

A questão é: como manter esses níveis de organização e arrumação no dia a dia? A resposta toda a gente sabe: fazer um pouco todos os dias. Qualquer um de nós tem pelo menos 15 minutos por dia para arrumar e limpar a casa! Mas, claro, esquecemo-nos disso e só nos lembramos à hora de ir dormir... A solução? Um lembrete no telemóvel. É o que vou fazer daqui para a frente. Toca às 21h45 todos os dias para me lembrar de dar um jeito à casa antes de ir dormir.

Relativamente ao yoga e à meditação, não tenho desculpa. Eu tenho de facto acordado sempre cedo, mas como tenho andado com frequências, acordo com a ideia de praticar, mas depois começo a sentir-me culpada e ponho-me a estudar... Não pode ser! Há tempo para tudo, e se fizer a minha prática, ainda estudo e trabalho melhor. Se quero mesmo estudar de manhã... acordo mais cedo para ter tempo para tudo, mas substituir a prática do yoga pelo estudo da psicologia... isso não pode ser!!

Esta semana vou, portanto, focar-me nestas duas alterações:

> acordar e praticar yoga; o estudo é depois do jantar, não às 6 da manhã!

> dar uma geral à casa todos os dias, durante 15 minutos, às 21h45

Vejamos como corre. Além disto, já tenho a semana toda planeada. Tenho duas aulas de yoga para dar, já preparadas, uma aula de yoga para fazer e mais uma aula de piloxing knockout (enquanto tenho um dos miúdos no judo; é uma boa forma de aproveitar o tempo). Tenho os compromissos na agenda, as tarefas mais importantes para a semana, sei as refeições que vou fazer e os snacks que tenho que levar para o trabalho. Está tudo pronto para mais uma fantástica semana!!


05/11/2015

Reencontro comigo mesma

Trabalho. Escrita de artigos. Leitura. Aulas de psicologia. Yoga. Aulas de yoga (como professora e como aluna). Aulas de jump e piloxing knockout. Trabalhos de casa. Estudo. Casa. Família. Filhos. Gatos. Fins de semana a estudar. Dias de semana a correr.

As últimas semanas têm sido super intensas. Preciso de me organizar (ainda) melhor e arranjar tempo para respirar. Não gosto desta sensação de estar constantemente ocupada. E tenho-a por culpa minha: falta de organização e procrastinação. Preciso de me reencontrar.

29/10/2015

A nova dieta - Dias 16-19

25/out, domingo - 54,1 kg

No domingo não apontei o que comi. Sei que foram torradas de manhã, salmão grelhado ao almoço, um crepe com nutella da feira, fruta e queijo ao jantar e mais fruta pelo meio. No dia seguinte, durante o yoga matinal, estava cheia de fome e com falta de energia, o que mostra que emagrecer por não comer não é nada saudável... É verdade que cheguei aos 54,1 kg, um número que não via há anos. Mas tenho que ter mais atenção ao jantar. Não ter energia para o yoga logo de manhã é horrível...


26/out, 2ªf - 54,1 kg
27/out, 3ªf - 54,3 kg

Também não apontei, pois tenho andado com tanto trabalho que não dá... Tenho comido bem, mas também abuso do chocolate às vezes...

28/out, 4ªf - 53,8 kg (!!!!)

0830 - iogurte grego, aveia, sementes, nozes, maçã
1100 - rissol de carne
1230 - 3 carapaus grelhados, salada montanheira, 2 fatias de pão alentejano; chá e 2 quadradinhos de chocolate preto
1700 - tosta mista e néctar de pêra (fui fazer uma aula de Jump à tarde e achei que precisava de alimento antes da aulas)
2030 - bifinhos grelhados, sopa de legumes sem batata

25/10/2015

A nova dieta - Dia 15

24/out, sábado - 54,4 kg

Este dia foi para esquecer em termos de alimentação... Estive o dia todo a estudar, nem saí de casa! Pratiquei yoga de manhã e à tarde e comi... mal.

0900 - 2 crepes com chocolate
1200 - 60 min ashtanga yoga
1300 - clementina e um bocadinho de queijo enquanto fazia o almoço, que foi posta de pescada cozida com ovo e umas batatinhas cozidas
1600 - mais 2 crepes de chocolate (tenho desculpa, estive o dia todo a estudar!)
1800 - 60 min vinyasa flow yoga
1900 - queijo e clementina
2230 - torrada



24/10/2015

A nova dieta - Dia 14

23/out, 6ªf - 54,7 kg

0815 - iogurte grego, aveia, sementes, nozes, maçã, umas fatias de queijo curado
1300 - frango assado com arroz e batata frita (poucas); chá e 2 quadradinhos de chocolate preto
1730 - bolachas de chocolate
1900 - almôndegas com cenoura

23/10/2015

A nova dieta - Dia 13

22/out, 5ªf - 54,9 kg

Este dia fiquei em casa e por isso a alimentação foi diferente do normal. Comi o que me apeteceu e a minha racionalização foi mostrar que o que importa mesmo para manter/perder peso (no meu caso, claro, que tenho um metabolismo rápido) é o que como ao jantar. Claro que um dia destes não me agrada - comi pouca fruta e vegetais... mas um dia não são dias.

0900 - leite com chocolate e duas torradas
1200 - almôndegas e cenoura ralada; 2 crepes (grandes) com chocolate
1800 - ovo cozido e maçã
2000 - panado de perú e algumas (poucas) batatas fritas de pacote

21/10/2015

A nova dieta - Dia 12

21/out, 4ªf - 55,0 kg

0800 - iogurte grego, mistura de aveia e sementes, morangos
1000 - palmier coberto (estava mesmo a precisar de açúcar... dormi super mal e precisava de combustível para o cérebro)
1230 - 3 carapaus grelhados, salada montanheira, 1 fatia de pão; chá e 2 quadradinhos de chocolate preto
1800 - ovo cozido
1930 - bolachas de chocolate (!!)
2030 - sopa de legumes sem batata, 3 almôndegas, o resto do pacote de bolachas

A nova dieta - Dia 11

20/out, 3ªf - 55,4 kg


0830 - iogurte grego (2 colheres de sopa), mistura de aveia com sementes e nozes, morangos
1100 - maçã, bocadinho de queijo
1230 - dourada grelhada, salada (alface, tomate, cenoura, cebola), 1 fatia de pão; chá e chocolate preto
1700 - ovo cozido, clementina
1800 - 30 min ashtanga
1900 - canja com arroz e 2 perninhas de frango

20/10/2015

A nova dieta - Dia 10

19/out, 2ªf - 56,2 kg (!!!!!! o fim de semana...)

0800 - clementina
0930 - ovo cozido
1100 - rissol de carne
1300 - peixe espada grelhado, 1 batata assada, salada (alface, cenoura, tomate), chá e 2 quadradinhos de chocolate preto
1800 - ovo cozido, clementina
2030 - sopa de legumes sem batata, 2 torradas (isto das torradinhas tem que acabar!!)

19/10/2015

A nova dieta - Os últimos dias

No laboratório, com o Reitor e os eurodeputados.

No fim da aula de Yoga com gatos.

Foram uma desgraça... Na sexta-feira tivemos uma visita de alguns eurodeputados à universidade, o que envolveu coffee breaks com bolos e almoço volante com muita comida. Eu e as minhas alunas enfardámos de tal maneira que a meio da tarde acabámos o trabalho e fomos para casa...

No sábado fiz mais uma aula solidária de yoga  com gatos, que correu muito bem, mas cheguei a casa e enchi-me de camarões e queijo. No domingo, almoço de família; queria peixe grelhado, mas como demorava algum tempo, optei pelo bacalhau com natas, que era prato do dia. À noite, acabei os camarões e o queijo. Resultado, esta manhã, com o sistema digestivo ainda cheio, pesava 56,2 kg.

Ao longo da última semana percebi que tenho que saber exatamente o que é que vou comer durante o dia. Tenho que trazer comida para o trabalho e fazer planos para o almoço. Caso contrário, cometo erros... como pães com chouriço a meio da manhã, almoços cheios de hidratos de carbono... 

Mas vamos ver como corre esta semana. Não trouxe fruta a pensar que tinha fruta aqui no gabinete, mas afinal não tenho... Só comi uma clementina ao pequeno-almoço, porque acordei mais tarde e não tinah fome, e um ovo cozido agora (ainda não são 10 horas). Só vou almoçar depois das 13h e não tenho nada para comer!! Isto tem MESMO que ser bem planeado... já estou a ver-me a comer um pão com chouriço daqui a pouco... enfim... Dieta durante as férias foi muito mais fácil!!



>>>>>

Gostaste deste post? Podes partilhá-lo usando os botões abaixo.
Não queres perder outros posts? Subscreve as actualizações do blog usando uma das opções da barra lateral.
Obrigada!!

15/10/2015

A nova dieta - Dia 5

14/out, 4ªf - 54,9 kg

0815 - iogurte grego, mistra de aveia e sementes, fruta
1230 - 3 carapaus grelhados, salada montanheira, 1 fatia de pão
meio da tarde - chocolate preto
1700 - 45 min ashtanga yoga
1800 - ovo cozido, meia torrada
1900-2000 - fui comendo um pacotinho de bonbons de chocolate...
2100 - meia dúzia de castanhas assadas (não tinha sopa...)

14/10/2015

A nova dieta - Dias 3 e 4

12/out, 2ªf - 55,3 kg

Este dia foi para esquecer... É o que dá ter um dia ocupado e não planear as refeições...

0700 - 20 minutos ashtanga yoga
0800 - iogurte grego, mistura de aveia e sementes, fruta
1130 - pão com chouriço (!!)
1330 - baguete de panado (!!)
1730 - tablete de chocolate com avelãs e passas (!!)
2000 - 45 minutos de ashtanga yoga
2130 - sopa de legumes sem batata, torradas

13/out, 3ªf - 55,4 kg

Mais planeado, naturalmente que correu melhor...

0830 - iogurte grego, mistura de aveia e sementes, fruta
1215 - linguado grelhado, salada, 1 fatia de pão
1330 - chá, 2 quadradinhos de chocolate preto
1600 - ovo cozido e salada de fruta, quadradinho de chocolate preto
1900 - sopa de legumes sem batata, ovo cozido, torradas (estou a ficar viciada em torradas ao jantar... não pode ser!!)

12/10/2015

A nova dieta - Dia 2

11/out/2015, domingo - 55,5 kg

0900 - ashtanga yoga (meia hora)
durante a manhã - 3 fatias de bolo de chocolate
almoço - dourada grelhada com salada e um pouco de arroz de tomate
durante a tarde - comi o resto do bolo de chocolate...
1800 - mais 1 hora de ashtanga yoga, puxado
jantar - sopa de legumes sem batata e duas torradas pequenas

(hoje não foi grande dieta, mas era domingo...)

11/10/2015

A nova dieta - Dia 1

10 out 2015, sábado - 58,8 kg (que horror!!! mas são as oscilações normais... às vezes tenho 54,5 kg...)

0900 - meia hora de ashtanga yoga, puxado
1000 - iogurte grego, mistura de aveia, sementes, frutos secos, salada de fruta, fatias de queijo curado
1030 - chá preto de maçã e canela
1300 - esparguete à bolonhesa, salada de fruta
1430 - chá de menta e especiarias
2030 - (estive a tarde fora de casa e não me deu fome; so comi quando cheguei e não tinha muita fome... foi da chuva) 2 torradas, salada de fruta (muita)
entre as 2100 e as 2300 - 3 fatias (pequenas) do meu bolo de chocolate

10/10/2015

A história do meu peso e mais um esforço

A evolução do meu peso desde o início da "dieta"

Em julho, de férias, na praia, decidida a perder os kilos a mais, consegui fazê-lo. Perdi cerca de 3 kilos, o que, em mim, nota-se e faz diferença. Agora ando à volta dos 55 kg, mas queria perder mais 2 ou 3 - aqueles chatos que ninguém vê a não ser eu, mas eu sei bem que eles estão cá. Desde o fim das férias consegui manter o peso, com as normais oscilações. Agora tanto posso ter 54,5 como 55,5 kg. 

Mas quero perder o que falta! Em julho partilhei aqui tudo o que comi durante mais de 30 dias e o meu peso diário. Resultou muito bem, espero ter motivado outras pessoas, e decidi fazê-lo de novo!
Nova "dieta", nova partilha de resultados.

A minha dieta não é uma "dieta" propriamente dita. O que eu gosto de comer e me faz sentir bem é mais ou menos o que é chamado de Primal (parecido com o Paleo, mas muito menos restritivo). Sei que há coisas que me fazem engordar (como os jantares de chouriça assada, pão, queijo e camarões) e coisas que ajudam a emagrecer (fazer exercício físico à tarde e não comer hidratos de carbono complexos ao jantar).

Nestes últimos meses tenho comido de tudo um pouco e, tal como já referi, o peso oscila, mas isso é perfeitamente natural. Não tenho ganho peso nem perdido peso. Mantenho-me à volta dos 55 kg. O objetivo agora é perder mais 3 kg. 

Sei que vai ser mais difícil. Não estou de férias, tenho que comer fora mais vezes, tenho que arranjar refeições rápidas e fáceis ao fim do dia. Mas vou tentar. E começo já hoje. Não é preciso começar a uma segunda-feira ou no primeiro dia do mês. Para mim, o momento presente é o ideal!



>>>>>

Gostaste deste post? Podes partilhá-lo usando os botões abaixo.
Não queres perder outros posts? Subscreve as actualizações do blog usando uma das opções da barra lateral.
Obrigada!!

08/10/2015

Mais um sobre a organização do trabalho científico

Este post é pensado em pessoas como eu, dedicadas ao trabalho científico, mas não quer dizer que não seja transversal a outras situações. Já recebi vários pedidos para partilhar como é que organizo o meu trabalho, portanto, aqui vai.

O trabalho científico é um tipo de trabalho criativo que envolve geralmente a conjugação de muitas atividades diferentes: trabalho de campo e laboratório, análise de dados, escrita de artigos, muita Muita informação passa-nos pelas mãos e não há horas suficientes num dia para fazer conseguir fazer tudo. O cientista acaba por levar trabalho para casa, vem ao laboratório ao fim de semana, e mesmo quando está a tentar relaxar continua a pensar acerca dos seus últimos dados. A parte boa é que o cientista geralmente gosta daquilo que faz, portanto o trabalho nem parece trabalho... e fazê-lo é, na verdade, uma fonte de prazer.

Mas como lidar, de forma organizada e eficiente, com tudo aquilo que este trabalho envolve? Claro que não há receitas infalíveis e cada um terá que descobrir o que é que se adapta melhor a si. Eu estou sempre a tentar melhorar os meus sistemas, a tentar arranjar maneiras de fazer melhor as coisas...

Em primeiro lugar, tenho que planear tudo o que faço. Atualmente uso o Workflowy para fazer esse planeamento, como mostrei aqui. Uso também o Google Calendar e uma agenda em papel. Na agenda em papel planeio os meus dias. Desde que comecei a tirar o curso de psicologia, tenho que me organizar muito bem e planear exatamente, para cada dia, o que vou fazer e quando vou fazer.

Há uns meses comecei a usar uma agenda Hobonichi, linda, ótima qualidade, que funcionou muito bem. Mas quando as aulas começaram, voltei a sentir necessidade do caderninho, onde tenho mais liberdade para usar o espaço como for mais adequeado.

Basicamente, uso uma página por dia; num dos lados faço uma pequena coluna com as horas, das 8h às 20h, onde anoto as aulas, reuniões e outros compromissos com hora marcada. No resto do espaço aponto as tarefas para fazer, mais ou menos de acordo com a hora em que devo fazê-las. 



Por exemplo, a primeira tarefa na imagem acima (ir à Ria buscar água), era para ser feita logo de manhã, daí estar próxima das 9 h. A tarefa comprar fruta e pão está entre as 18h e as 19h, depois de sair do trabalho. A última tarefa, já no fim da folha, refere-se a um trabalho para uma das disciplinas do curso, que planeei fazer em casa, depois do jantar, daí estar já depois das 20h.


Uma das maiores fontes de informação (e papel) com que o cientista lida todos os dias são os artigos científicos. Temos que estar sempre a par do que vai sendo publicado na nossa área, portanto a leitura de artigos é das tarefas mais importantes que temos. 

Há já muitos anos que não imprimo os artigos. Tiro os pdfs que me interessam, guardo-os numa pasta do Dropbox e organizo-os no Mendeley. O Mendeley (e outros softwares para gestão de referências) é fantástico, pois permite organizar os atigos em pastas, atribuir-lhes etiquetas, sublinhá-los, escrever comentários, enfim, tem uma série de funcionalidades que facilitam imenso o trabalho. No iníco fazia-me confusão ler no monitor, mas acho que é uma questão de hábito. E se pensarmos que é melhor para o ambiente, não custa tanto.



Basicamente, tudo o que posso ter em pdf, prefiro ter em pdf do que em papel. Quem diz artigos, diz livros e outras coisas. Enquanto os meus colegas têm as secretárias e as estantes cheias de coisas, eu tenho (quase) sempre a secretária desempedida e a estante arrumada e cheia de espaço.

quase sempre arrumada... mas nem sempre...
Também uso o Evernote para organizar certas coisas, como sites da net que me interessam, artigos que quero tirar o pdf, sites de congressos para ir, coisas assim... Uso o Evernote tanto para coisas de trabalho como pessoais, pois as suas funcionalidades (pastas, etiquetas) permitem separar as coisas e ter tudo organizado.

Uma alteração significativa que fiz recentemente e que me tem facilitado bastante a vida foi juntar todos os meus projetos em curso num só dossier.



Não gosto de trabalhar em muitas coisas ao mesmo tempo, e por isso só tenho 5 separadores para projetos de trabalho no dossier (e só 4 estão ocupados). Em cada separador guardo todos os papéis, rascunhos, informações importantes relacionadas com esse projeto. Por exemplo, o quarto projecto (JPR) é um artigo que submeti e que estou agora a fazer as correções requeridas pelos revisores. Aqui tenho os comentários dos revisores e folhas onde vou escrevinhando coisas para fazer, para procurar, para acrescentar... Naturalmente que tenho uma pasta no computador que corresponde a cada projeto, onde guardo os ficheiros digitais correspondentes (manuscrito, figuras, tabelas, carta ao editor, resposta aos revisores, etc.).

Neste mesmo dossier tenho também o material das aulas do curso de psicologia (os separadores cinzentos, de 1 a 6, um para cada disciplina). Aborrecia-me ter dois dossiers e andar sempre com os dois para trás e para a frente. Assim, arranjei um dossier grande onde cabe tudo aquilo que necessita da minha atenção. No fim do dia, é só agarrar no dossier e se quiser trabalhar em casa tenho ali tudo o que preciso.

Tenho outros projetos, outras ideias que gostava de pôr em prática um dia, projetos que vão iniciar-se daqui a uns meses - o someday/maybe do GTD, num outro dossier. Ao seu lado, dois outros que são importantes: um com todos os meus artigos (aqueles de que sou autora ou co-autora) impressos, e outro com documentos importantes relacionados com trabalho (estatuto de trabalhador-estudante, e documentos que a FCT nos faz digitalizar, como declarações de aceitação, guardo aqui os originais).



Resumindo, é planear, organizar, gerir bem o tempo... e divertir-me pelo caminho!

Se tiveres questões ou quiseres saber em específico alguma coisa em relação aos meus métodos de organizar e planear o trabalho (não é o que os meus métodos sejam perfeitos, é óbvio, mas têm funcionado para mim), deixa um comentário! Obrigada!



>>>>>

Gostaste deste post? Podes partilhá-lo usando os botões abaixo.
Não queres perder outros posts? Subscreve as actualizações do blog usando uma das opções da barra lateral.
Obrigada!!

01/10/2015

E assim aconteceu: aula solidária de yoga com gatos



No passado sábado a Pravi de Faro, com a colaboração da loja A Canastra e duas professoras de yoga, a Sara Santos e moi-même, organizou a primeira aula solidária de yoga com gatos.

A sala foi pequena para tanta gente que quis participar. Os gatos eram quatro irmãos lindos, que infelizmente (ainda) não foram adotados (o J. gostou muito de um deles, mas já temos 3 em casa...). As pessoas contribuiram com areia e dinheiro (muitas deram muito mais que os 2 euros mínimos), a TVI esteve lá, e aqui fica a reportagem.

Uma experiência fantástica que é, sem dúvida, para repetir!
E muito obrigada a todos os que tornaram este dia possível!


>>>>>

Gostaste deste post? Podes partilhá-lo usando os botões abaixo.
Não queres perder outros posts? Subscreve as actualizações do blog usando uma das opções da barra lateral.


Obrigada!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...