22/05/2017

Sobre a auto-disciplina (e o dinheiro deitado à rua com coisas que não faço)

As pessoas que me conhecem pessoalmente ou apenas virtualmente tendem a acreditar que eu sou muito disciplinada.

Em parte, é verdade. Sou disciplinada. Quando me proponho fazer coisas, faço. A nível académico isso é evidente: uma licenciatura, um mestrado, um doutoramento, uma segunda licenciatura prestes a terminar, um segundo doutoramento em curso e um candidatura a um segundo mestrado para breve. Se não fosse disciplinada, provavelmente isto não teria corrido assim. Também fiz outros cursos, formações, workshops, sempre com resultados positivos. O curso de instrutora de yoga é um exemplo. Agora estou a fazer a certificação em Primal Health Coach, que tem estado parada por causa de outras coisas, mas vai ser finalizada em julho ou agosto. Projetos, artigos, coisas sérias, relacionadas com o trabalho, são sempre feitas. Portanto, sim, acho que sou disciplinada.

Mas... 

Noutras coisas não sou. Certas coisas não consigo terminar. Muitas delas nem começo. Ou faço apenas durante 1 ou 2 dias e depois desisto. Para onde foi a minha auto-disciplina?

E do que é que estou a falar?

Muito simples. De todos os programas de treino/dietas/desenvolvimento pessoal que já experimentei...

Vou fazer um apanhado para ficarmos mais esclarecidos. 

Este foi o primeiro dvd de exercício físico que comprei, pouco antes de ter o meu segundo filho, com o objetivo de seguir o dvd para voltar à boa forma física. 


Acho que fiz uma ou duas vezes e desisti. Aliás, lembro-me que 1 mês depois da criança nascer, voltei para o ginásio e esqueci o dvd.

Mais tarde, comprei estes dois:



O dvd de alongamentos acho que nunca fiz todo. O dos abdominais até gosto e às vezes ainda faço alguns treinos.

Em 2011, inspirada pelo seu trabalho no The Biggest Loser, comprei este livro da Jillian Michaels.


Li-o, mas nunca fiz nada do que lá está escrito.

Em 2012, quando parti o pé a jogar ténis, comprei um dvd da Jillian, porque seria mais fácil de seguir que um livro. Comecei e recomecei várias vezes, até gosto do dvd, mas nunca fiz mais de 2 semanas seguidas (o programa é de 4 semanas).


Entretanto comecei a praticar yoga e aí sim, sou muito mais consistente, mas não tanto como gostaria...

As minhas compras de programas de treino continuaram, mas entretant rendi-me ao formato digital.

O ano passado comprei este programa de treino HIIT com pilates, o PIIT28:


Fiz só o primeiro dia e não peguei mais nele.

Este ano comprei o BodyBoss Method:


Fiz o primeiro exercício do primeiro dia. E decidi que não queria fazer mais.

Os livros/programas que comprei em formato kindle ou pdf são inúmeros...
Aqui ficam alguns exemplos:








Não completei nenhum dos programas. Geralmente nem passo da primeira semana.

O que é que isto diz acerca de mim?

Obviamente não sou tão disciplinada como pareço. Ou então gasto toda a minha força de vontade numas coisas e fico sem força para outras...

Mas nem tudo é mau!! Há coisas que faço e acho viciantes! A natação é um exemplo. Desde que voltei a nadar, em dezembro, que estou completamente rendida! Adoro, adoro, adoro!! Vou sempre às aulas, mesmo quando estou cansada ou não me apetece, e nado! Nado, esforço-me e não desisto (o professor e os colegas também contam bastante).
Quando pratico ashtanga com os meus professores Tarik e Lea também parece uma coisa do outro mundo! Da última vez até fiquei mal disposta com o esforço que fiz - mas que bem que sabe depois!

Numas coisas sou bastante disciplinada, de facto. Quando pago propinas e é importante para a minha carreira (como a universidade) ou quando tenho pessoas a olhar para/por mim (como os professores de yoga e natação), aí faço tudo direitinho!

Mas quando estou sozinha no meu canto... é para esquecer. Não tenho força de contade suficiente. Ou, simplesmente, os programas não são bem o meu estilo, tal como o ginásio, as aulas de grupo, onde nunca vou de forma consistente, porque me aborrece.

(agora que pus no papel alguns dos programas e livros onde já gastei dinheiro e comecei a fazer contas de somar por alto... estou a ficar traumatizada com o dinheiro que já deitei à rua nestas coisas... é melhor este post ficar por aqui...)

;) ;)


7 comentários:

  1. eu acho que é claro que não vale a pena insistires nesse tipo de programas: deixas cedo e depois acabas por substituir um por outro e gastas dinheiro desnecessariamente. eu penso que há aí também um padrão... as atividades que fazes por prazer, manténs, as que procuram um segundo objectivo (nomeadamente a perda de peso, definição, etc...) acabam por ficar para segundo plano. nem todos os exercícios são para todas as pessoas e lá porque não és disciplinada nuns, não quer dizer que não o sejas de todo. simplesmente, a razão pela qual te envolves neles não se mantém forte até ao fim do programa.
    eu gostava de ser mais como tu na parte académica, tenho o doutoramento por entregar mas deste verão já sei que não passa. ao contrário de ti lido muito mal com os longos prazos, sou a rainha da procrastinação... já em relação ao exercício físico sempre odiei. fazia-o com a ideia da perda de peso, até que comecei a correr e gostei taaaanto que mantive. depois gostei dos resultados físicos além dos mentais e acabei por fazer outros exercícios para aumentar a resistência e prevenir lesões. comprei o programa da sophie gray, o way of gray, e vou no 6º mês. são extremamente puxados, mas têm resultados que nunca vi antes. são completos e posso fazê-los a qualquer hora e na senda de me manter psicologicamente sã para terminar a tese, tive obrigatoriamente de incluir mais exercício físico na minha rotina. o exercício, para além das endorfinas, ajuda-me a mudar o chip e a procurar resultados a longo prazo em vez de a curto prazo e depois transponho isso para a escrita da minha tese.
    resumindo, ainda bem que identificaste o problema, continua no ioga e na natação que são atividades perfeitas e complementares! ;) e muitos parabéns pelos teus feitos académicos, que inspiração!
    beijinho

    ResponderEliminar
  2. Rita, sou exatamente assim também. Às vezes inclusive penso que não faço quase nada, aí dou a retrospectiva de tudo aquilo que realizo, e volto a ficar tranquila.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  3. Não és a unica Rita! Para eu fazer exercicio regularmente tem de haver um instrutor, pagamento mensal e pessoas comigo =) não me ponho a correr ou ir às piscinas para exercitar, até o posso fazer uma semana mas depois desisto. Embora não adore o ginasio admito que gosto das aulas como o jump e step e não me farto quando há instrutores diferentes.
    Acho que andar de bicicleta seria o meu unico exercicio, poderia o fazer regularmente por exemplo ir todos os dias para o trabalho, assim é de forma natural e resulta.

    Olha pega mas é nesses dvds e livros todos e põe a render no olx. Ah e não compres mais nenhuns, já deu para perceber que não são para ti =P

    ResponderEliminar
  4. Mudar e querer experimentar não é nada extraordinário, dar dinheiro por coisas que não se usam já me parece fora de personalidade.

    Faço uma sugestão (com humor): somar o valor dessas comprar todas e oferecer o valor equivalente ao IPO ou a alguma associação PORQUE NÃO SE USARAM. Isso vai criar uma relação mental quase imediata - produto-não uso-donativo :)

    ResponderEliminar
  5. Helloy friend! Trying to practice my Portuguese by reading your blog... Amd if I understood most of what you wrote... I just the same! I can be very disciplined when it comes to stuff I really, really matters or see that wil' serve me.... But there is stuff ( like some programs you posted there that I also tried) for which I seemed to have mo discpline at all.... Over the years , I have come to realize that discipline and interest go hand-in-hand in my case anyway... And made peace with that!

    For example, I have a BSc, I wrote a book and a blog for a while, I am a minimalist and vegan... I completed a reading marathon.. I am very organized... But all these matter to ME...
    As for trends (like those exercise programs) or courses that were fad but not that important I never completed them and that's OK!
    You arw doing great and don't be to hard on yourself!
    💜 Chloe✌️

    ResponderEliminar
  6. Sou absolutamente igual, mas não desisto! :) e se quiseres vender o Piit28, estou interessada! :)

    ResponderEliminar
  7. Post muito interessante. Gostei da parte das pessoas acharem que és muito disciplinada.
    Dou catequese a diferentes anos e noto que as crianças dos anos mais novos tendem a achar que eu sou perfeita, que não tenho falhas, que faço tudo bem. Depois, ao longo dos anos vão percebendo que eu afinal também erro, que não sou como eles acharam. É importante dizer que eu nunca procuro passar a ideia que sou perfeita, antes pelo contrário. Até procuro dar exemplos de falhas minhas para que percebam que todos erramos. Provavelmente será assim que os filhos vêem os pais ao longo da vida. :-)

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...