21/03/2014

Comer com atenção plena


Thich Nhat Hanh fala, no livro que já aqui referi várias vezes, Making Space: Creating a Home Meditation Practice, de vários aspectos do nosso dia a dia que devem ser feitos de forma mais consciente, ou seja, praticando a atenção plena, ou mindfulness. Cozinhar e comer são dois desses momentos e fazê-los de forma mindful é uma parte integrante da prática espiritual e da meditação.

Há cerca de um ano participei num dia de atenção plena e o almoço foi feito em silêncio. Começou com o toque de um sino que assinalava o início da refeição e do silêncio; comemos a maior parte do tempo em silêncio, agradecendo e saboreando a comida. A dada altura, o sino voltou para assinalar o fim do silêncio e assim acabámos a refeição, conversando uns com os outros.

Thich Nhat Hanh explica que comer com atenção plena permite-nos compreender que todo o universo suporta a nossa existência, além de cultivarmos as sementes da compaixão e compreensão. Começar a refeição com uma pequena prece ajuda-nos a estar mais presentes no momento e mais gratos pelo alimento que vamos ingerir:

"Este prato de comida, tão fragrante e apetecível, contém também muito sofrimento."

Antes de começar a comer, respiramos 3 vezes de forma consciente, contemplamos o prato de comida e dizemos (não necessariamente em voz alta... pode ser para dentro):

"Nesta comida vejo claramente a presença de todo o universo, suportando a minha existência."

Durante a refeição devemos comer e estar com a comida; actividades como ver televisão, ouvir música, ler (que é o que eu faço quase sempre ao almoço), devem ser evitadas.

No fim da refeição, contemplamos os pratos vazios e podemos dizemos:

"O prato está vazio, a minha fome está satisfeita. Comprometo-me a viver em benefício de todos os seres."

Ao lavar a louça, se o fizermos como se do banho de um bebé se tratasse, toda a experiência será mais agradável e gratificante:

"Lavar a louça é como dar banho a um bebé. O profano é o sagrado. A mente do dia a dia é a mente iluminada."

Thich Nhat Hanh aconselha ainda a récita ou leitura das cinco contemplações antes das refeições:

1. Este alimento é um presente de todo o universo, da terra, do céu e de muito trabalho árduo.
2. Que possamos comê-lo em plena consciência e com gratidão a fim de sermos dignos de recebê-lo.
3. Que possamos transformar os nossos estados mentais não saudáveis e aprendermos a comer com moderação.
4. Que possamos comer apenas alimentos que nos nutrem e previnem doenças.
5. Aceitamos este alimento para que possamos nutrir a nossa irmandade, fortalecer a nossa comunidade e cultivar o nosso ideal de servir a todos os seres.

Este é um caminho longo, claro. O mindfulness, a atenção plena, é um modo de vida que integra práticas formais, como a meditação, e práticas informais, como as actividades do dia a dia. Para começar, experimenta comer um dia em silêncio. Presta atenção ao cheiro, ao sabor e à textura dos alimentos - é uma experiência muito gratificante. E o mais provável é não comeres tanto e a comida até tem outro sabor!


>>>>>
Gostaste deste post? Podes partilhá-lo usando os botões abaixo.
Não queres perder outros posts? Subscreve as actualizações do blog usando uma das opções da barra lateral.
Podes também {subscrever a newsletter} e receber de oferta dois ebooks sobre organização e simplificação! Podes ainda dar uma olhadela ao meu mini-curso {Como acordar cedo e ter uma manhã serena}!
Obrigada!!

7 comentários:

  1. Interessante.
    Também já li que comer, tendo em atenção que o estamos a fazer, ajuda a saciar muito mais do que se comermos enquanto fazemos outras coisas, pois o corpo não se apercebe ou esquece-se que está a comer.

    www.prontaevestida.com

    ResponderEliminar
  2. Que maravilha ler esse teu post!
    Quero acrescentar mais um detalhe. Por se tratar de uma atividade instintiva, de sobrevivência, comer atento à comida ativa aquela área do cérebro onde estão as emoções basicas (alegria, tristeza, medo e raiva) e também onde guardamos as lembranças intra-uterinas!
    Prepare-se para insights bem profundos.
    Parabéns, você está cada dia melhor, Rita.
    Beijos e abraços brasileiros,
    Cintia

    ResponderEliminar
  3. Amei, vou começar a fazer isso, já imprimi para mim e vou compartilhar com amigos. Que post maravilhoso!
    Mais abraços e beijos do Brasil.
    Kathia

    ResponderEliminar
  4. Adorei! Vou começar a seguir isto.

    viagemdoceviagem@blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Mais um post excelente, obrigada Rita! Não sei comer e cozinhar de outra forma, com muita calma, sentir os cheiros e os sabores. Não consigo comer de pé ou a pressa. Sem ser muito espiritual e sem me debruçar muito sobre isto, detesto acompanhar as refeições com a televisão. Sou gulosa, mas não sou glutona, ou seja, adoro comer porque me da muito prazer, mas não devoro grandes quantidades, ficar mal disposta, estragaria tudo. Beijinho.

    ResponderEliminar
  6. Rita, quero agradecer a partilha deste assunto. AMEI este post. Eu gostaria muito de poder comprar este livro porém não entendo direito essa coisa de "kindle" (desculpe a minha ignorância). Moro no Brasil e não sei como poderia adquirir este livro. Fico-lhe grata, de todo o meu coração.
    Sylvia

    ResponderEliminar
  7. Andre Amorim07/08/14, 21:56

    Olá!

    Chamo-me André Amorim e pesquiso, em minha tese de doutorado, a atenção plena (mindfulness) voltada ao ambiente laboral. Gostaria de pedir a colaboração de vocês divulgando amplamente (por email ou no site), caso possível, o link que remete ao questionário online da pesquisa (ver abaixo). O único critério para participar é estar trabalhando.

    https://docs.google.com/forms/d/1f7Jmw31N56ztwiCrr2tRpjwq69VzCaI43xbc69sXDhk/viewform

    Agradeço imensamente a colaboração!
    Em caso de qualquer dúvida, favor entrar em contato.

    Respeitosamente,
    André Amorim

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...