28/11/2011

O problema da meta-tralha

Adorei a primeira vez que li na net sobre o conceito de meta-stuff, ou meta-coisas, que são as coisas para guardar outras coisas (caixas, organizadores, pastas, dossiers e afins).

O problema é que quando se eliminam coisas, as meta-coisas ficam vazias e deixam de ter utilidade. Eu já tive que me livrar (leia-se dar ou vender) de várias peças de mobília que ficaram sem nada lá dentro (ou em cima). 

O aparador da sala e dois camiseiros do quarto ficaram vazios; três estantes grandes do escritório foram substituídas por uma parecida com a Billy (mas comprada no Aki); já tive um aparador grande no escritório que também esvaziei; três estantes do quarto dos miúdos foram substituídas por duas Expedit; uma mesa de centro e uma de apoio da sala foram substituídas por uma só mesa de centro (que era a minha antiga secretária à qual tirámos altura); uma antiga mesa de cabeceira que guardava tralha numa das varandas foi fora; várias caixas de arrumação Samla que tinha debaixo da cama foram esvaziadas, assim como dezenas de pastas de arquivo e dossiers de argolas, para não falar de mais umas quantas caixas, cestos e caixinhas, e muitos, mas muitos cabides... Também fiquei com vasos e jarras vazios e outros objectos decorativos deixaram de ter lugar nas superfícies (que se querem o mais vazias possível).

Não tive problema nenhum em livrar-me das meta-coisas grandes - mobília (alguma dei, outra vendi). O problema surgiu com as meta-coisas mais pequenas - as caixas, as pastas, os dossiers e os objectos decorativos.

Meta-tralha

Não sei o que lhes faça... Na minha cabeça penso que essas meta-coisas poderão ser úteis um dia - mas se assim for, quer dizer que vou estar a acumular tralha... Por enquanto a situação é esta:

~ as caixas Samla estão na arrecadação com os tais objectos decorativos
~ os cabides (os piores, metálicos) vou pô-los ao pé do caixote do lixo (pode ser que alguém leve) 
~ algumas caixas vou guardar dentro das Samla (que ganham o estatuto de meta-meta-coisas - coisas para guardar coisas que servem para guardar coisas) 
~ em relação às pastas de arquivo e dossiers (que estão dentro de uma Samla) estou a pensar dizer aos meus colegas para ver se alguém quer...

 Meta-coisas guardadas numa meta-meta-coisa

Cabides

Dossiers

E vocês, o que fazem à meta-tralha?

10 comentários:

  1. Não existe nenhuma loja de artigos em segunda mão perto da tua zona de residência? Eu já vendi algumas coisas na loja do Porto Alternativo e eles pagam na hora. Pode ser pouco, mas vale a pena.
    As pastas de arquivo poderiam ser muito úteis a algum estudante. Não conheces nenhum? Senão, levá-las para a tua universidade e distribuí-las é uma boa opção.
    Quanto às caixas e cestos que vejo na primeira foto, não te poderiam ser úteis para uns cabazes de Natal? Não sei se os costumas fazer, mas em caso afirmativo, eram um bom recipiente.
    Espero ter ajudado. Bjs!

    ResponderEliminar
  2. Onde vc reside?
    Estou precisando de Dossiers, se for do Rio me envia um email, que compro as suas.

    ResponderEliminar
  3. Hum... Capas de arquivo guardo porque acabo por usar, mas caixas e caixinhas, ou seja meta-coisas vão fora, com excepção de algumas que ponho no meu blogue de venda. Cacos e assim não entram cá em casa e o namorado concorda porque já percebeu que depois dá mais trabalho para limpar ;)

    ResponderEliminar
  4. Olá direto do Brasil! :)

    Desde o início do ano, tenho passado por um processo de livrar-me de tralhas e também fiquei com várias meta-tralhas (adorei o conceito) acumuladas. No fim das contas, dei-as para amigos ou instituições de caridade. A melhor parte é que livrar-me das meta-tralhas ajuda a evitar a tentação de enchê-las novamente. :)

    Em tempo: descobri seu blog há algumas semanas e tem sido um prazer ler conteúdo sobre minimalismo em português! Virei leitora assídua!

    ResponderEliminar
  5. Eu costumo oferecer para quermesses e sorteios de rifas e afins, na maioria das vezes, para ajudar uma associação de recolha de animais da nossa localidade. Já dei bibelots, chávenas, molduras, etc etc etc... Por que não ponderar isso?
    Também costumo perguntar no local onde deixo as roupas das piolhas que já não servem (bem como brinquedos e roupas do marido ou minhas que não servem ou já não vestimos) se há alguém que precise de coisas maiores (mobílias, caixas, etc). é uma associação que dá bens alimentares e outros a quem mais necessita.
    Quando desocupei o meu escritório, demos tudo (tudo mesmo e olha que eram mesas e cadeiras e quadros brancos sem fim...) aos bombeiros e a uma IPSS. Não pensámos muito em vender porque temos quem precise logo ao lado e, pronto, tentamos ajudar no que pudermos...

    Espero ter ajudado...

    beijos

    ResponderEliminar
  6. Habitualmente nao a tenho, porque há muitos anos que pus esta medida de que falas em prática. E é um alívio, Rita!
    Ou seja, quando acho que preciso de alguma coisa (mesmo simples: dossiers, cestos & tralhas afins) nao compro imediatamente, vou namorando o assunto e olha que, nao raras vezes, chego à conclusao que afinal nao faz sentido.

    Claro que ocasionalmente há coisas que deixam de fazer falta: nesse caso, separo-as e entrego a uma instituicao. Dessa forma, sei que as poucas caixas que tenho na arrecadacao conteem objectos que sao mesmo para guardar, como por exemplo, equipamento desportivo sazonal ou as decoracoes de Natal.

    Quanto às tuas pastas de arquivo, caso os teus colegas nao queiram, já pensaste em perguntar na escola dos teus filhos? Talvez lhes faca jeito.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Os cabides que tinha de plástico e metal, troquei por cabides de madeira e deitei alguns fora e outros dei.
    As pastas, costumo perguntar a colegas se querem ou dou a quem eu sei que precisa. As caixas, mais vale dares a alguma associação, que precisa sempre de sítios para guardar papéis e coisas que vão surgindo e nem sempre as podem comprar.
    :)

    ResponderEliminar
  8. Olá. Eu dou tudo o que não preciso a uma Loja Social, que distribui, depois, por quem mais precisa no concelho. Algumas "meta-tralhas" (adorei o conceito!) eu guardo, pois quando decido alterar alguma forma de organizar as coisas dão sempre jeito. Mas guardo apenas coisas de que gosto, como cestos. ADORO cestos para organizar! Quanto aos cabides, se forem de plástico dou à Loja Social, se forem de arame vão para o lixo. Os dossiers, uma dica: uma amiga vai oferecer dossiers que não usa e vai decorá-los para oferecer no natal (vai criar organizadores de receitas, home files, tickler files, quem sabe...) - inspirou-se nos portefólios de Inglês dos meus alunos...

    ResponderEliminar
  9. Sabes, depois da minha viagem de um mês e uma semana na India, vim com montes de ideias, de que tinha de minimizar as coisas que tinha em casa. E quando cheguei fiz uma arrumação em casa e todas aquelas coisas k já não utilizava à muito tempo, juntei e fui entregar a uma loja social, que existe no Montijo, para que as pessoas carrenciadas possam ir buscar o que precisam.
    Eu entreguei de tudo.. roupa, sapatos, malas, carteiras, dossiers, etc (até uma antiga casa dos meus hamsters, que estava novinha em folha).
    Mas assim sei que vai ser entregue a pessoas que têm falta.
    Beijinhos e estou a gostar muito o teu blog (vou continuar a cuscar)

    ResponderEliminar
  10. Olá! Hoje encontrei o teu blog "por acaso" porque para mim nada é ao acaso. Também eu estou a optar por este estilo minimalista, que nos desapega de tudo o que é fútil e desnecessário às nossas vidas e deixa espaço para aquilo que realmente importa. Adorei o conceito meta-tralhas. As minhas costumo dar e aquelas que acho que ainda poderão servir para alguma coisa vão para a arrecadação.
    Como gostei muito do blog vou continuar a visitar.
    Um abraço

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...